sábado, 4 de fevereiro de 2017

"Manchester à beira-mar" expõe as diversas camadas de sofrimento de um homem sem ânimo para viver


A dor da culpa, o remorso ou o arrependimento, são algumas das emoções que podem bloquear a jornada de qualquer indivíduo, no caso específico de "Manchester à beira-mar" (2016), do diretor-roteirista Kenneth Lonergan (Conte Comigo), o personagem principal Lee Chandler (Casey Affleck), zelador de um prédio no subúrbio de Boston, encaixa-se perfeitamente nessa trajetória de falta de ânimo para seguir com a vida.

Lee, exerce suas atividades diárias de uma maneira apática, sem contato íntimo com pessoas e, em suas horas vagas desloca-se para um bar, onde, no final da noite procura, por violência com outros clientes. Ao ser informado sobre o falecimento do irmão, Joe Chandler (Kyle Chandler), Lee viaja para sua cidade natal - Manchester -, para cuidar dos preparativos do funeral. À partir desse luto, ele recebe a notícia de ser o tutor do sobrinho adolescente, Patrick (Lucas Hedges).

No contato direto com suas origens, Lee perambula pelo frio e gelo de sua cidade, num processo de negação à incumbência de cuidar do sobrinho. Ao mesmo tempo, o passado desse personagem emerge aos poucos, revelando seu relacionamento com a ex-mulher Randi (Michelle Willians), sua ligação com o irmão e,  os eventos traumáticos que lhe ocorreram.

Nessa jornada de busca pela redenção ou não, a trilha sonora é marcada por hinos religiosos e, uma paisagem gélida, dialogam com o vazio existente no coração de Lee. Qualquer vestígio de superação - seja autoajuda, perdão ou um novo objetivo de vida -, não é suficiente para cicatrizar as feridas do passado, que insistem em ficar expostas.  O modo como o ator Casey Affleck, expõe essas camadas de sofrimento é magnífico, como resultado, já logrou o Globo de Ouro de Melhor Ator e, está indicando no Oscar na mesma categoria e filme. Vale destacar também, a atriz Michelle Willians, que nas poucas cenas de aparição consegue ser soberba. Ela também concorre ao Oscar como Melhor Atriz Coadjuvante.

O roteiro navega de uma maneira precisa nesse drama familiar repleto de figuras masculinas, que transbordam as emoções antes trancafiadas, tanto nos diálogos abarrotado de palavrões, quanto na violência, na raiva e na bebida alcoólica. A fotografia realista tem total domínio da luz, proporcionando o efeito de algo palpável e dolorido. Assim como, a montagem estruturada efetua o momento presente com resgate de lembranças do passado, de modo nítido. Um bom filme para refletir sobre como superar, ou não, as perdas e tropeços da vida. 
CineBlissEK



Ficha técnica: 

Manchester à beira-mar (Manchester by the sea)
2016, Estados Unidos
Direção: Kenneth Lonergan
Roteiro: Kenneth Lonergan
Produção: Chris Moore, Kevin J. Walsh, Kimberly Steward, Lauren Beck, Matt Damon
Fotografia: Jody Lee Lipes
Montador: Jennifer Lame
Elenco: Casey Affleck, Michelle Williams, Lucas Hedges, Kyle Chandler

Nenhum comentário:

Postar um comentário