quinta-feira, 19 de maio de 2016

Com uma pitada de bom humor "Truman" retrata a jornada de despedidas de um ator prestes a morrer


A única certeza do ser humano é saber que um dia irá falecer, apesar disso ninguém tem conhecimento de quando esse fato pode acontecer. No caso do novo longa do diretor Cesc Gay (O que os homens falam), a personagem principal Julian (Ricardo Darín), ator argentino radicado em Madri, está com os dias contados em virtude do avanço do câncer em seu corpo. Para não passar os últimos momentos de sua vida em um quarto de hospital, ele decidi interromper o tratamento e aproveitar o tempo que resta.

Para a surpresa de Julian, eis a visita inesperadamente de seu antigo amigo de infância, Thomas (Javier Cámara) que mora no Canadá e veio para Madri passar alguns dias ao lado dele. Thomas até tenta persuadir o amigo de realizar todo processo de tratamento médico, porém sem sucesso. Dessa forma, ele opta por estar junto do parceiro nesses últimos suspiros para matar a saudade e acompanhá-lo em sua rotina. Nessas andanças os dois conversam sobre a amizade, a vida, os amores e a questão da morte, todavia esses assuntos são discutidos com uma pitada de descontração e bom humor, dando um ritmo mais leve a narrativa.

Nessa jornada de despedidas, Julian tem como principal missão encontrar um lar para seu fiel companheiro, Truman, o cachorro de longa data e merecedor do título do filme. Conjuntamente, ele faz uma trajetória interna ao lidar com sentimentos intensos, o perdão, o medo, a coragem e determinação, pois são essas emoções que lhe permitem seguir adiante com sua decisão. Nesse ínterim, Julian junto de Thomas tem a oportunidade de passar uma tarde com o filho que mora em Amsterdã para celebrar o aniversário do jovem e um último adeus.

Todo esse percurso de alta carga dramática só é crível devido a interpretação brilhante dos dois atores consagrados em seus países - Ricardo Darín na Argentina e Javier Cámara na Espanha - que junto com Dolores Fonzi, prima contrária a decisão de Julian, transmitem de uma maneira sensível, humana e acolhedora a dificuldade de dizer adeus para alguém querido. Os laços criados a partir das relações tornar-se o nutriente para a existência humana, como comenta a personagem principal ao indagar que o sentido da vida está justamente nas relações.

O roteiro assinado por Cesc Gay e Tomas Aragay estabelece um equilíbrio entre o drama e o jocoso, obtendo um resultado inteligente e elegante. A montagem com o ritmo afinado à trama consegue perpassar de uma maneira suave a despedida de Julian, fomentando no espectador a comoção, admiração e até possíveis lágrimas ao término da sessão. 
CineBlissEK


Ficha Técnica: 

Truman (Truman)
2016, Espanha/Argentina
Direção: Cesc Gay
Roteiro: Cesc Gay, Tomas Aragay
Produção: Marta Esteban, Diego Dubcovsky
Fotografia: Andreu Rebes
Elenco: Ricardo Darín, Javier Cámara, Dolores Fonzi

Nenhum comentário:

Postar um comentário